Publicidade

Publicidade

“Se não me prenderem, quem sabe um dia eu mando prender eles”, diz Lula


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva resolveu partir para o ataque após as declarações do o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque em depoimento à Lava Jato que o petista tinha "pleno conhecimento" do esquema de corrupção na estatal. 

Durante discurso na abertura da etapa paulista do 6º Congresso Nacional do PT, Lula ameaçou "mandar prender" quem espalha "mentiras" contra ele e disse que, se voltar a ser presidente, vai fazer a regulamentação dos meios de comunicação.

O petista voltou a reclamar da cobertura da imprensa no caso da Lava Jato. Na sua avaliação "ficaram dois anos dizendo que eu seria preso". "Se eles não me prenderem, quem sabe um dia eu mando prender eles por mentir", disse o petista.

Na sequência, Lula voltou a dizer que quer ser candidato a presidente e enfrentar "um candidato da Rede Globo" para poder falar durante a campanha sobre a regulamentação dos meios de comunicação. "Quero que tenha um candidato com um plim plim no peito para que possamos dizer claramente que vamos regulamentar os meios de comunicação", afirmou.

Depois de ter se comparado a uma jararaca, Lula usou a cobertura sobre a Lava Jato e seu crescimento nas pesquisas para se comparar a um mandacaru, espécie de cactus típico do sertão nordestino. "O que eles não sabem é como o mandacaru sobrevive. Ele não precisa de muita água e eu não preciso de imprensa, preciso olhar nos olhos de vocês."

O petista admitiu a hipótese de ser impedido legalmente de disputar a eleição e disse que, se isso ocorrer, "vamos disputar na Justiça".

Por: Erivaldo Oliveira,  São Gonçalo Alerta


Top da Semana

Notícias