Publicidade

Publicidade

Mais de trinta mil educadores participam de processo seletivo do Estado


Mais de trinta mil educadores baianos acordaram cedo neste domingo (7) em busca de uma vaga no mercado de trabalho. Eles participam do Processo Seletivo Simplificado promovido pela Secretaria da Educação do Estado, para a contratação de professores e profissionais da área, por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda). As provas foram realizadas em instituições espalhadas pelos 27 territórios de identidade que compõem a Bahia.

O processo seletivo vai contribuir para que o Estado preencha o quadro de profissionais na área da educação, mantendo a qualidade do ensino nos 417 municípios. Também é uma oportunidade para quem busca uma oportunidade para começar ou voltar a lecionar, como é o caso do professor Edvaldo Menezes. “Estou fora da sala de aula, mas quero voltar. O processo seletivo é uma maneira de eu me testar e de voltar a ensinar, que é minha paixão”, afirma o educador.

As 7,4 vagas ofertadas pelo concurso são para as funções de mediador Emitec, professor de educação profissional, intérprete e instrutor de Libras, cuidador, professor indígena, preceptor de Estágio Enfermagem, Brailista e professor de educação especial. Do total, 2,2 mil vagas são destinadas à professores substitutos para atuarem em casos em que houver afastamento por licença. 

As áreas contempladas foram Ciências Humanas, Linguagens e Códigos, Ciências da Natureza, Matemática, tradução em libras, entre outras. O resultado do certame, que também consiste em prova de títulos, será divulgado no Diário Oficial até o dia 7 de junho deste ano. Os aprovados serão convocados em um prazo que levará em consideração a necessidade de preenchimento do quadro de professores no estado.

“Esse processo seletivo tem para diversas funções dentro da educação. Todos os territórios vão ter concorrentes. A área de exatas, como matemática e física, são as que a gente tem mais carência, mas não apenas elas serão contempladas como outras que são importantes para a garantia do ensino de qualidade”, afirmou a superintendente de Recursos Humanos, da Secretaria de Educação do Estado, Ana Catapano.

Por: Erivaldo Oliveira,  São Gonçalo Alerta

Top da Semana

Notícias