Publicidade

Publicidade

Após ser estuprada por padrasto, menina de 11 anos é impedida de fazer aborto


O Serviço de Atenção às Mulheres Vítimas de Violência Sexual (SAMVVIS) do Estado do Piauí negou o procedimento de aborto a uma menina de 11 anos, vítima de estupro por parte do padrasto.

De acordo com informações do site UOL, o serviço, que funciona dentro da Maternidade Dona Evangelina Rosa, local onde a vítima foi atendida, o aborto não foi consentido porque o tempo de gravidez permitido para o procedimento havia extrapolado. A menina está na 25ª semana e, segundo o protocolo do Ministério da Saúde, o aborto só pode ser realizado até a 12ª semana de gestação.

Ainda de acordo com a SAMVVIS, "a gestante adolescente não apresentava sintomas de anormalidades em sua saúde física ou mental no momento do exame físico e não se encontra internada". A maternidade declarou ainda que a não interrupção da gravidez nessa idade gestacional "objetiva ainda salvaguardar a saúde da adolescente e do seu concepto, assegurar os princípios éticos e legais do serviço de saúde e de seus profissionais, bem como reduzir riscos de morbimortalidade materna".

Familiares da criança registraram um boletim de ocorrência contra o padrasto da vítima na Delegacia de Polícia de Timon, no Maranhão. O padrasto da criança ainda não foi preso pela polícia. O município fica a 425 km da capital maranhense e a apenas 5 km de Teresina e, por isso, o atendimento hospitalar foi realizado no Piauí.

Por: Erivaldo Oliveira,  São Gonçalo Alerta
Fonte: Metro1

Top da Semana

Notícias