Publicidade

Publicidade

Secretaria de Saúde de São Gonçalo esclarece sobre denuncia e deverá abrir sindicância


Somente após o encerramento dos trabalhos de investigações e conclusões dos fatos por parte da Polícia Civil, é que uma sindicância interna deverá ser aberta pela Secretaria Municipal de Saúde de São Gonçalo dos Campos, para apurar uma denuncia anônima onde afirma que durante cinco anos o enfermeiro Fabiano de Oliveira Campos, assumiu o lugar do médico Paulo Roberto dos Santos como coordenador geral da emergência do Hospital Geral de São Gonçalo dos Campos (HGSGC). A suposta fraude teria movimentado R$ 360 mil reais/ano.

A denuncia ganhou repercussão na mídia baiana após matéria publicada no site Bocão News, na última terça-feira (17), sendo compartilhada pelo São Gonçalo Alerta e demais meios de comunicação.

A Nota de Esclarecimento é assinada pela assessora de comunicação Larissa Medrado, através de portaria 001/2017. Veja:


Por: Erivaldo Oliveira, São Gonçalo Alerta

Relembre o caso


Fraude em São Gonçalo dos Campos: esquema milionário envolve médico e enfermeiro


No interior da Bahia, a 108 km de Salvador, um esquema envolvendo um médico e um enfermeiro movimentou R$ 360 mil reais/ano. O caso aconteceu durante cinco anos na cidade de São Gonçalo dos Campos, onde o enfermeiro Fabiano de Oliveira Campos assumiu o lugar do médico Paulo Roberto dos Santos como coordenador geral da emergência do Hospital Geral de São Gonçalo dos Campos (HGSGC).

Segundo fontes do Bocão News, o golpe funcionava da seguinte forma: com formação em medicina, Paulo tinha sido contratado pelo hospital, mas foi Fabiano, formado em enfermagem, quem assumiu o posto e os pacientes do clinico. No final do mês, o salário de R$ 30 mil reais era dividido entre os dois de forma igual.

A equipe de reportagem do Bocão News esteve no hospital na sexta-feira (13) e confirmou com funcionários da unidade que Fabiano atuava como Paulo.


Ao entrar em contato com a direção do hospital, nesta terça-feira (17), a equipe foi informada que o funcionário havia sido desligado pela secretária municipal da Saúde, Jaqueline Moreira Porto. 

O hospital não soube informar como foi feita a contratação do enfermeiro no lugar do médico, tampouco explicou como o fato ocorreu sem documentação.

A secretária da Saúde informou que o órgão realizou uma investigação e encaminhou para a polícia a denúncia. “O hospital investigou e encaminhou esses dados para polícia. Vocês têm que entrar em contato com a delegacia, isso é caso de polícia. O hospital fez a contratação, mas não na gestão atual. A gestão atual assumiu e assim que assumiu solicitou as documentações originais, com a ausência dessa documentação, houve a suspeita, foi encaminhada à polícia, justamente no início da gestão, eles investigaram e descobriram”, explicou.

Jaqueline Porto informou ainda que após a descoberta, o enfermeiro, que atuava como médico, foi encaminhado à delegacia e após isso a pasta não sabia o que tinha acontecido com ele.

Entretanto, em contato com o delegado da cidade, Eugênio Rocha, a informação foi confrontada. “A denúncia não foi feita pela secretaria da saúde. Recebemos uma denúncia anônima na quinta-feira (12) e começamos a apurar. O hospital apresentou alguns documentos para a gente, esperamos a informação do Cremeb e quando percebemos que se tratava de um caso de falsidade ideológica voltamos ao hospital e o Fabiano já não estava mais lá, tinha fugido”, conta.

Em contato com o Conselho Regional de Medicina do Estado da Bahia (Cremeb), o corregedor do órgão, o médico José Abelardo de Meneses informou que não houve denúncia à instituição nem por parte da secretaria municipal nem pela polícia do local. “Não chegou nenhuma denúncia ao Cremeb”, informou.

A polícia não soube informar o paradeiro do médico, Paulo Roberto dos Santos ou do enfermeiro, Fabiano de Oliveira Campos.

Por: Erivaldo Oliveira, São Gonçalo Alerta
Fonte: Bocão News

Top da Semana

Notícias