Publicidade

Publicidade

Ministério da Saúde reforça vacinação contra febre amarela


Com a confirmação pelo Ministério da Saúde na última quarta-feira de oito mortes por febre amarela, em Minas Gerais, a Secretaria de Saúde do estado da Bahia (Sesab) resolveu intensificar a vacinação em massa da população de 67 municípios, nas regiões Oeste, Sudoeste (Vitória da Conquista) e extremo Sul. Para tanto vai reforçar as ações de monitoramento, vigilância e controle da doença e intensificar a imunização da população.

De acordo com o último boletim do Ministério da Saúde, a febre amarela ainda está restrita a 29 municípios na região Sudeste e até ontem tinham sido registrados 206 casos suspeitos notificados, sendo 53 mortes suspeitas da doença. Somente em Minas Gerais, o último boletim epidemiológico contabilizava 184 casos notificados da doença, sendo 37 casos prováveis, além de 53 óbitos suspeitos, sendo 22 óbitos prováveis por febre amarela. 

Essa situação, contudo, tem levado a uma procura pela vacina nos 126 postos e centros de saúde em Salvador, que registraram um aumento de mais de 50% nos últimos dias. Conforme explicou a coordenadora do Serviço de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, Ana Paula Pitanga, não há razão para esse comportamento, uma vez que Salvador não é área de risco para a doença.

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Salvador, a prioridade deve ser dada a crianças a partir dos nove meses de idade, que devem tomar a primeira dose, repetindo-a quatro anos depois, e aqueles que vão viajar para os municípios considerados como áreas de riscos. “Não estamos fazendo uma campanha de vacinação em massa, mas sim uma ação rotineira de vacinação, que sempre foi feita ao longo dos anos”, esclarecendo que há estoques de vacinas em todas as unidades da capital, mas que fazem parte do procedimento rotineiro do Ministério da Saúde.O último caso de febre amarela em áreas urbanas no país data de 1942.

Prevenção
No âmbito da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), a superintendente de Vigilância e Proteção à Saúde, Ita de Cácia Aguiar, explicou que a vacina deve ser tomada por crianças a partir dos nove meses e pelos adultos que ainda não estão imunizados. “Para as pessoas acima dos 60 anos e para os imunodeprimidos, a vacinação deve ser feita apenas com recomendação médica”, informa a superintendente.

Além da vacinação da população dos municípios baianos que fazem limite com municípios mineiros, a Sesab solicitou ao Ministério da Saúde a ampliação da imunização para cidades com elevada circulação de pessoas oriundas de Minas Gerais, devido ao acesso a toda região litorânea , como é o caso de Teixeira de Freitas, onde recentemente foi notificado um caso da doença em uma pessoa residente em Teófilo Otoni (MG)..

As outras cidades do extremo sul com recomendação de imunização são: Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Eunápolis, Guaratinga, Ibirapuã, Itabela, Itagimirim, Itamaraju, Itanhém, Itapebi, Jucuruçu, Lajedão, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz de Cabrália e Vereda.Foi ainda incluído na recomendação para o reforço vacinal o município de Vitória da Conquista, importante eixo rodoviário ligado com o norte e nordeste de Minas Gerais, onde estão localizados os municípios com ocorrência de casos e óbitos por febre amarela. 

Conforme recomendação do Ministério da Saúde para quem vai viajar para os municípios considerados de riscos, a vacina deve ser aplicada pelo menos 10 dias antes do deslocamento, para garantir o processo de imunidade. Após a vacinação, é fornecido o Cartão Nacional de Vacinação, que deve ser conservado como documento pessoal. Isso porque os anticorpos são produzidos entre o 7º e 10º dia após a vacinação.

A Febre amarela é uma doença infecciosa, que é transmitida pela picada dos mosquitos transmissores infectados e não há transmissão direta de pessoa a pessoa. A vacina é a principal ferramenta de prevenção e controle da doença. Os macacos são os principais hospedeiros. O período de incubação no homem varia de 3 a 6 dias, podendo se estender até 15 dias. Caracteriza-se por insuficiência hepática e renal, febre, calafrios, dores de cabeça, lombalgia, mialgias generalizadas, prostração, náuseas e vômitos.

784 casos notificados em dois anos

Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, atualizado em 05 de janeiro deste ano, o Brasil teve 784 casos de febre amarela na população, entre julho de 2014 e dezembro do ano passado. Já a febre amarela acometida em macacos teve 898 casos notificados no período, dos quais 49 foram confirmados pelas autoridades de saúde.

O estado com maior registro de casos notificados na população foi São Paulo, com 164 notificações, seguido de Goiás (132) e Pará (93). Na Bahia foram 21 casos notificados em humanos. Em março de 2016, um óbito foi confirmado no município de Bady Bassitt, em São Paulo.

Municípios baianos em áreas de risco

Quarenta e cinco municípios baianos estão na chamada área de risco, com possibilidades de haver casos da doença. A Sesab recomendou a vacinação da população. Segundo a Sesab, o último caso de febre amarela urbana no Brasil ocorreu em 1943. Já a Febre amarela silvestre teve um caso registrado na Bahia, em 2002, no município de Barreiras, na região Oeste.

Municípios 
Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Buritirama, Campo Alegre de Lourdes, Canápolis, Carinhanha, Casa Nova Catolândia, Cocos, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Feira da Mata, Formosa do Rio Preto, Ibotirama, Itaguaçu da Bahia, Iuiú, Jaborandi, Luís Eduardo Magalhães, Malhada, Mansidão, Morpará, Muquém de São Francisco Paratinga, Pilão Arcado, Remanso, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória Santa Rita de Cássia, Santana, São Desidério, São Félix do Coribe, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sítio do Mato, Sobradinho, Tabocas do Brejo Velho, Wanderley e Xique-Xique.

A esses municípios foram acrescidos os de Vitória da Conquista, na região Sudoeste, e Teixeira de Freitas, no Extremo Sul, além de Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Eunápolis, Guaratinga, Ibirapuã, Itabela, Itagimirim, Itamaraju, Itanhém, Itapebi, Jucuruçu, Lajedão, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz de Cabrália e Vereda. Todos estão localizados na região Extremo Sul do Estado.

Por: Erivaldo Oliveira, São Gonçalo Alerta
Fonte: Tribuna da Bahia

Top da Semana

Notícias