Publicidade

Publicidade

Família de São Gonçalo tenta na Justiça liberação de corpo de aposentada morta há um ano e meio


A família da aposentada Maria Luíza Ribeiro Lago, encontrada morta dentro de um brejo nas proximidades da fonte da Gameleira no dia 22 de junho de 2015, em São Gonçalo dos Campos, ainda aguarda do Instituto Médico Legal de Feira de Santana (IML), a liberação do corpo para o seu sepultamento. A espera dolorosa já dura quase um ano e seis meses.

Inconformados, eles entraram na Justiça pedindo agilidade na liberação do corpo, e do resultado do laudo cadavérico identificando a causa da morte.

Em entrevista ao São Gonçalo Alerta, uma sobrinha da vítima revelou que a única informação passada para a família pelo IML, é que o órgão em Feira de Santana está aguardando o resultado de exames de DNA do sangue e saliva, extraídos do cadáver, e que os mesmos são realizados apenas na capital (Salvador). É através desses exames que a polícia busca descobrir a identificação do corpo, a causa real da morte, e se a idosa foi acometida de algum tipo de agressão física ou sexual, explicou a sobrinha. 

Ela também revela que já forneceu amostras do seu sangue e de saliva para ajudar na identificação, mesmo a família não tendo dúvidas que o corpo encontrado seja mesmo o de Maria Luíza, que sofria de problemas mentais. 



Por: Erivaldo Oliveira, São Gonçalo Alerta
Fotos: Erivaldo Oliveira

Top da Semana

Notícias