Publicidade

Publicidade

Ciganos suspeitos de matar gêmeos, pagam fianças e são soltos em Simões Filho


Foram soltos na segunda-feira (22) os cinco ciganos presos por porte ilegal de arma, no município de Simões Filho. Eles estão supostamente envolvidos na morte dos gêmeos Silvio Cezar Carvalho Santos e Cezar Silvio Carvalho Santos, de 45 anos no dia 17 de agosto.

A informação foi confirmada pelo advogado dos presos e pela Vara Crime de Simões Filho. Além das armamento restrito ao uso militar, facões e munição, foi apreendida com os ciganos a quantia de R$ 22.142.

O advogado informou que eles já foram indiciados pela polícia pela morte dos gêmeos, mas devem responder a acusação em liberdade. O crime pode ter sido cometido por vingança por conta do assassinato de um cigano em 2014. A prisão preventiva que foi revogada foi sobre o porte ilegal de arma.


Os homens soltos têm entre 29 e 62 anos, e estavam detidos na 1ª Delegacia e foram soltos após o pagamento de fiança de 10 salários mínimos para cada um deles. O advogado explicou que a Justiça entendeu que por serem réus primérios e não terem antecedentes criminais, não haveria motivos para sustentar o pedido de prisão preventiva, tendo o Ministério Público dado parecer favorável à soltura dos suspeitos.

Os homens foram presos durante uma operação conjunta das Polícias Civil e Militar, que cumpriram mandatos de busca e apreensão na região na sexta-feira. Em depoimento, os ciganos negaram participação na morte dos gêmeos.

O Crime
Silvio Cezar Carvalho Santos e Cezar Silvio Carvalho Santos foram executados na localidade conhecida como Baixa do Tubo, no bairro de Cosme de Farias, em 17 de agosto. Os gêmeos foram enterrados no dia 18.

Silvio Cezar era advogado e tinha um escritório no local onde o crime aconteceu. O irmão dele trabalhava como cinegrafista. As informações iniciais da polícia deram conta de que dois homens chegaram no local e um deles chamou por Silvio. Quando apareceu, ele foi baleado pelos homens. Silvio morreu no local.


Depois de ter ouvido os disparos, Cezar tentou socorrer ao irmão, mas acabou sendo baleado também. Vizinhos chegaram a socorrer Cezar para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas ele chegou à unidade sem vida.

A polícia trabalha com a hipótese de que o crime foi cometido por vingança, por um grupo de ciganos com quem o irmão das vítimas, Jailton Carvalho Santos, teria uma dívida. Por conta dessa dívida, Jailton matou o cigano Jair Ferraz, que atuava como agiota, durante uma briga em 2014. Jailton se entregou à polícia e continua preso, condenado a 14 anos de prisão.

Por: Erivaldo Oliveira,  São Gonçalo Alerta
Fonte: Varela Notícias

Top da Semana

Notícias